As pessoas têm necessidade do belo

As pessoas têm necessidade do belo

João Paulo II, em 1999, escreveu uma carta endereçada a mim. Isso mesmo: uma carta do Papa pra mim e pra você que é artista e que de alguma forma leva o “belo” para o mundo.

 

Essa carta é um presente pra nós, mas é também um apelo da igreja para que cada um de nós, artistas, não cessemos de “produzir” esta beleza que o mundo tanto necessita.

De fato, a arte – no caso, a música – exerce uma influência enorme em nós. A música em geral tem essa força, independente de seu estilo. Quem já não chorou com uma canção ou ouvindo uma música se transportou a um outro lugar? Tive a oportunidade de estudar musicoterapia em 1998 e pude experimentar, trabalhando durante um ano na Apae com excepcionais, como a música pode ajudar jovens com alguma deficiência.

Em outra oportunidade, trabalhei com a Pastoral da Saúde no maior pronto socorro de Belo Horizonte. Sabem o que eu fazia lá? Tocava violão e cantava com os enfermos. O lugar mais difícil do hospital pra mim era o 9º andar, pois lá estavam os que sofreram queimaduras. Mas era lá que eu sempre queria ir, pois mais aprendi com eles do que tudo. Algumas pessoas não conseguiam falar quando eu cantava, mas era possível ver nos olhos a paz e a alegria da visita e da música. Cantei sertanejo com uns, pop rock com jovens e cantigas com as crianças, mas o mais importante eram eles se expressando através da música, algo que ajudava em sua recuperação.

Conta uma história que dois irmãos músicos, um que tocava na igreja e outro na orquestra, combinaram de se verem tocando. O da ópera foi à igreja e o som estava ruim, os violões desafinados, a música mal executada etc. No outro dia, o da igreja foi ao concerto da orquestra que começou pontualmente, o som estava impecável e tudo no seu devido lugar. Conversando depois, o irmão da orquestra disse: nós aqui apresentamos uma mentira como se fosse verdade e você na igreja apresenta uma verdade como se fosse mentira.

Será que tenho feito de minha arte uma verdade para as pessoas? Como o Papa disse, o mundo tem necessidade do “Belo” e infelizmente muitos jovens se encantam com tantas músicas sem sentido, ou pior, com sentido destruidor. E digo mais, será que tenho feito de minha vida uma bela arte para as pessoas?

Escute, jovem: somos inteligentes e podemos crescer com belas canções que nos levam ao encontro com o sagrado, sejam essas canções cristãs ou não. Cabe a mim e a você usar o discernimento pra saber se aquela canção me ajuda ou me atrapalha, se me constrói ou me destrói, se me eleva ou me rebaixa.

Cresçamos e nos elevemos com a beleza da música e experimentemos o quanto ela pode nos ajudar a sermos pessoas melhores.

 

Léo Rabello é fundador da Banda Dominus.

fonte: http://www.jovensconectados.org.br/artigos/musicalidade/130-as-pessoas-tem-necessidade-do-belo